quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

O golpe se volta contra Lula e as eleições de 2018

Até a extinção formal da escravidão em 1888 era uma arranjo jurídico que a tornava legal e foi uma lei que aboliu essa prática em nosso país. Cem anos depois, uma Constituição estabeleceu um embrionário Estado de direito nos marcos burgueses no Brasil. Com o impeachment que derrubou Dilma Rousseff em 2016, essa lei magna foi rasgada e teve início o golpe que, depois de aprovar as reformas neoliberais no momento seguinte, entrou agora em sua terceira fase com a condenação em segunda instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 24 de janeiro.


segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Chico César alerta os que comemoram o triste desfecho de Porto Alegre

A Poesia e o Poeta não cala o coração diante da injustiça: leiam o recado de Chico César a escória togada da lava-ajato e aos que comemoraram o resultado do trf-4, em Porto Alegre.

Aos idiotas
Antipatriotas
Vendilhões do templo-nação
Digo não
Aos canalhas
E à toda tralha
Que odeia quem trabalha
Digo: Vês, chegará vossa vez
E a vocês restará o lixo da história
Ao juiz
Magistrado pau-mandado
Atolado na toga alugado
Te digo: infeliz meretriz algoz voraz
Tua alma sem paz
Tua casa sem calma
Tua palma à palmatória
Tua fala fina alegrando a escória
Teus dias de triste glória
Tudo finda e ainda tua gala espúria
Aos donos das tvs e dos jornais aliás não digo
Grito: inimigo!
Teu castigo com vigor virá e vigorará
A falência
A concordata
O preço da cocaína
A fuga de anunciantes
E as empresas claudicantes mediante e mendicantes à ruim ruína
Ao construtor do novo e seu motor
Digo amor amante avatar avante
Irrradia radiante a ira que doravante empinarás pelas ruas
Que todo pelego em desassossego se torne assustado
Para dormir um olho aberto e outro fechado
Para comer temer o veneno
Para trepar temer o punhal
Em todo pipoco esperar a bomba a bala o terror
Que a cruviana do tempo sopre e alopre até arrancar os telhados de vidro

24.01.2018 (entre Porto Alegre e São Paulo) Chico César

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Luiz Carlos Prestes 120 anos!


É preciso impedir que o golpe se complete

(...)Quais os elementos centrais da conjuntura nacional recente? A aproximação com as festas de final de final de ano necessariamente leva a avaliações do que foi feito e reflexões sobre o futuro. Na cena política, este balanço exige acompanhar o golpe no seu processo e observar sua passagem para uma nova fase.
Como afirmamos em editoriais anteriores, há três focos principais de acontecimentos no Brasil que se relacionam diretamente com o golpe: a operação Lava-Jato, as reformas neoliberais e a intensificação da repressão, que, embora intrinsecamente ligados, devem merecer atenção particular para captarmos seu sentido mais essencial.(...)

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

O chão dos golpistas pode voltar a tremer


(…) Para entender o desdobramento recente do golpe, é necessário considerar a
greve geral de 28 de abril que levou a paralisação de 30 a 40 milhões de trabalhadores e trabalhadoras, ameaçando tirar o chão dos golpistas e levando-os a uma luta interna das mais sangrentas. A classe trabalhadora, ao fazer o chão tremer, primeiro levou a rede Globo a passar para o “Fora Temer” com o caso dos irmãos Batista; o setor jurídico também procurou se eximir, assustado por saber que cometeu graves delitos e que pode vir a ter que pagar por isso. O medo da ira popular produziu os primeiros rachas no golpe. A última decisão do Supremo, de transferir o papel de intérprete da Constituição para o Congresso no caso da punição de parlamentares, representa outro passo nessa direção: os juízes jogaram nas mãos do desmoralizado Congresso a responsabilidade da palavra final e as medidas cautelares contra Aécio já foram suspensas no Senado e devem ser pelo plenário. (…)